Da mais alta janela da minha casa, com um lenço branco, digo adeus aos meus versos que partem para a humanidade. E não estou alegre nem triste; este é o destino dos versos [...]. Quem sabe quem os lerá? Quem sabe a que mãos irão? Fernando Pessoa.

Obs. usando a autonomia que a licença poética e a própria cultura brasileira me permitem, não adoto linearmente essa segunda outorga (arbitrária) da língua portuguesa.


terça-feira, dezembro 18, 2012





                                        Incrível como me identifiquei com esta rena (rs), aliás, ela tem um sorriso parecido com o meu na foto ai ao lado...Bem, desejo um ANO realmente NOVO a todos vocês que estão sempre por aqui me prestigiando com a leitura do meus trabalhos (eu gostaria que também comentassem e me dissessem o que acharam de algum deles, mas...), sou-lhes muito grata. Que  possam deixar para trás as agruras de um ano que já está saindo... fazer novos planos e redimensionar aqueles que ainda não foram realizados; desejo que sonhem também, porque as realizações que mudaram o curso da humanidade e melhoraram a vida na terra um dia foram sonhos de "loucos", mas, principalmente, AMEM; só através do AMOR alguma coisa será possível. E continuem  buscando a PAZ; desejo ALEGRIAS, LUZ e REFLEXÃO a todos, junto à suas famílias...
Carinhosamente,
Guacira




Atenção: esta imagem foi retirada do google,' imagens free', mas se houver autoria, os créditos sarão registrados aqui. 

2 comentários:

O Sibarita disse...

Ô dona moça do Obaluaê, atô tô meu pai, saravá! kkkkkkkk

Desejo-lhe e aos seus um FELIZ NATAL repleto de fé, de paz, de bondade, de caridade e de perdão!

O Sibarita

O Sibarita disse...

EI DESEJO-LHE UM FELIZ ANO NOVO CHEIO DE CONCRETIZAÇÕES!

TUDO DE BOM MOÇA!


O SIBARITA