Da mais alta janela da minha casa, com um lenço branco, digo adeus aos meus versos que partem para a humanidade. E não estou alegre nem triste; este é o destino dos versos [...]. Quem sabe quem os lerá? Quem sabe a que mãos irão? Fernando Pessoa.

Obs. usando a autonomia que a licença poética e a própria cultura brasileira me permitem, não adoto linearmente essa segunda outorga (arbitrária) da língua portuguesa.


sábado, dezembro 31, 2011

FELIZ ANO NOVO!

Desejo a cada um dos meus leitores, esteja onde estiver, pois a linguagem do amor é universal, não importando em que idioma ele seja expresso...
"Que o caminho seja brando aos teus pés; que o vento sopre leve em teus ombros; que o sol brilhe cálido em tua face; que as chuvas caiam serenas em teus campos; e, até que eu de novo te veja, que DEUS te carregue na palma das mãos" (Oração Celta).

Carinhosamente,
Guacira

Um comentário:

EVENTOS EDUCATIVOS disse...

Que você tenha um 2012 abençoado dia após dia.