Da mais alta janela da minha casa, com um lenço branco, digo adeus aos meus versos que partem para a humanidade. E não estou alegre nem triste; este é o destino dos versos [...]. Quem sabe quem os lerá? Quem sabe a que mãos irão? Fernando Pessoa.

Obs. usando a autonomia que a licença poética e a própria cultura brasileira me permitem, não adoto linearmente essa segunda outorga (arbitrária) da língua portuguesa.


quarta-feira, abril 14, 2010

Uma tonalidade... (guacira maciel)

Bem...decidi que chega!
Chega de mentira, de enganação, de se ludibriar pessoas crédulas (ou sem educação??), e de manipular suas vidas...
Qual será a nossa capacidade de suportar essas mentiras? Até quando este pais vai fechar os olhos fingindo que tudo vai bem? que estamos vivendo o eldorado? o nosso pais está sendo roubado de nós, diante dos nossos olhos!... Não estamos vendo isto? Este pais é de todos nós; também somos responsáveis pelo que acontece agora. Meu Deus, estamos cegos, ou isso é pura covardia? Somos um país de povo pacífico ou covarde? Há uma enorme diferença entre os dois...
Após assistir um homem de ciência, DR. RICARDO AUGUSTO FELÍCIO (USP), nos abrir os olhos, em uma entrevista, sobre as questões mentirosas acerca do clima da terra, aliás, homens de ciência...homens que passaram (e passam)a vida estudando, e que precisam ter o nosso crédito; eles estão querendo nos abrir os olhos para que enxerguemos no que estão querendo transformar este grandioso país!
Para o Doutor Ricardo, tudo é uma questão de educação (ou falta dela)!

Sou educadora e gosto de escrever poemas...mas, por isso mesmo, me vejo na obrigação de falar o que postei aqui hoje, e peço que acessem os seguintes sites:

www.fakeclimate.com.br e www.midiaamais.com.br e REFLITAM!!

Só um flash do que estão deixando de saber, de aprender; leiam isto aqui...
Dr Ricardo Augusto Felício:
E na calada da noite, no período entre as festas, vemos o governo federal aprovar Leis de Mudanças Climáticas, mesmo com o fracasso total de Copenhague, pois os políticos brasileiros precisam, de qualquer forma, justificar[...], criação de novos impostos e cerceamento dos direitos civis do povo brasileiro. Ainda continuam com a conversa de metas de redução de emissões de CO2 (35 a 40%). Para quê? Ninguém no mundo assumiu nada e nós temos de estabelecer metas? E o pior de tudo: sabemos que tudo isso se baseia numa gigantesca mentira. O CO2 não é vilão de nada, não causa nenhum mal na atmosfera, muito menos aquece a Terra.
Dentre os vários absurdos, tivemos notícia de que [...]:
- Inspetores governamentais de agências fiscalizadoras fecharam diversas empresas (que eles diziam serem fajutas) e que fabricavam as lâmpadas incandescentes de R$1,00. Eram pequenas empresas, mas que a máfia do AGA, através de seus tentáculos, conseguiu colocar fora da “lei”. Vocês devem estar se perguntando: o que isso tem a ver? Simples: as grandes empresas não vão mais fabricar as lâmpadas incandescentes baratinhas "porque gastam muita energia". Só vão vender as caríssimas (e porcarias) fluorescentes de rosca (R$9,00) e as ultracaras LEDs (R$25,00). É assim que funciona: não mais a troca seletiva, voluntária e gradativa de tecnologias, mas a sua imposição por via legal. Quem não tem dinheiro, que fique no escuro! Menos liberdade de escolha e mais um ataque aos menos favorecidos, os mesmos que os políticos dizem defender.
E assim vamos. Enquanto o mundo começa a dizer não ao embuste do AGA, no Brasil não param de acrescentar novos problemas ao cotidiano das pessoas, isolando cada vez mais os que precisam de soluções simples e baratas. Assim são os nossos políticos, de qualquer partido, impondo dificuldades a todos para vender facilidades a alguns; tudo em nome do povo, é claro.

O autor é Professor do Departamento de Geografia-FFLCH/USP e Doutor em Climatologia

Nenhum comentário: