Da mais alta janela da minha casa, com um lenço branco, digo adeus aos meus versos que partem para a humanidade. E não estou alegre nem triste; este é o destino dos versos [...]. Quem sabe quem os lerá? Quem sabe a que mãos irão? Fernando Pessoa.

Obs. usando a autonomia que a licença poética e a própria cultura brasileira me permitem, não adoto linearmente essa segunda outorga (arbitrária) da língua portuguesa.


quinta-feira, janeiro 28, 2010

Sem objeção... (guacira maciel)

As cores eram mornas e suaves
como saidas de um sonho crepuscular...
não ousei perturbar a quietude
daquele quase sono
e permaneci imersa
rendida à natureza e sua mansidão...
o dia se diluia gris
sem objeção à luz do luar...
àquela paz não carecia me submeter
era branda...
abriguei-a...
não precisei correr atrás do sol
e suplicar que permanecesse mais um pouco
para derreter os cristais
pontiagudos de minh'alma
a noite era promessa de paz...

9 comentários:

Uma aprendiz disse...

Nada melhor que a PAZ.

Ela nos preenche e nos satisfaz.

Lindo poema.

beijos

Guacira Maciel disse...

Ah!... nenhuma objeção...risos...
Obrigada,
beijo.

Natalia Araújo disse...

Caramba!!!
Que lindo!

Amei essa parte:
"Não precisei correr atrás do sol
e suplicar que permanecesse mais um pouco
para derreter os cristais
pontiagudos de minh'alma"

Show.
Beijos.

Guacira Maciel disse...

Olá, querida,
obrigada pela sensibilidade ao comentar o meu poema.
Volte sempre...

Beijo,

Guacira.

O Sibarita disse...

Hummm... kkk Ô dona moça, é tão porreta o sol, o luar entrando na nossa caminhada, nos mostrando que apesar de tudo existe a luz!

É isso, deixa entrar o arejamento do luzeiro no derretimento pontiagudos dos critais e não é promessa é concretização de que um tempo novo surge no horizonte...

Oi que bom, né não? kkkkkkkk

Belo poema, sempre!

bjs
O Sibarita

Pena disse...

Encantadora Amiga Poetiza:
Um poema majestoso feito como seu harmonioso e precioso sentires. A vida. A existência de todos nós.
Tem uma sensibilidade adorável. Terna. Extraordinária.
Beijinhos amigos puros.
Sempre na maior estima, respeito e consideração.
Adorei. Fabulosa.
Com admiração constante.

pena

Bem-Haja, genial amiga. Escreve de forma ímpar e bela.
MUITO OBRIGADO pela sua amizade de sonho.
OBRIGADO!
Deve ser um Ser Humano de ouro puro, sabia?

Guacira Maciel disse...

Pena, querido amigo de além mar.

Agradeço toda a sensibilidade com que você avalia a minha poesia...eu sou uma caminhante; uma viajante de universos, por vezes, tão desconhecidos, mas com tantas possibilidades...
Um beijo,
Guacira.

Roy Dávatoc disse...

Há momentos em que são nesses espaços que levam a outros universos paralelos em que podemos localizar um lugar especial onde nos sentimos especiais. E não apenas que a busca, mas para ser potencialmente determinada a levar as coisas, tempos e lugares que nos fazem sentir um com o universo: A noite é um deles cheio de mistérios.

Guacira Obrigado por nos deixar esperança.

Guacira Maciel disse...

Foi você quem me deu um presente, caro amigo.
Pode haver algo melhor do que dar esperanças?
Seja sempre bem vindo, amigo.
Guacira.