Da mais alta janela da minha casa, com um lenço branco, digo adeus aos meus versos que partem para a humanidade. E não estou alegre nem triste; este é o destino dos versos [...]. Quem sabe quem os lerá? Quem sabe a que mãos irão? Fernando Pessoa.

Obs. usando a autonomia que a licença poética e a própria cultura brasileira me permitem, não adoto linearmente essa segunda outorga (arbitrária) da língua portuguesa.


terça-feira, dezembro 01, 2009

Menina iris (guacira maciel)

Olha-me...
grava na retina
um semblante dolorido
perplexo
a surpresa da compreensão do nada afinal...
olha-me hoje
aguardo-te verter
um vislumbre de luz
sobre esta imagem
que já estará perdida
nos escombros
que construíste como proteção
e percebe que sou
a outra parte da tua alma
perdendo-se...
não quero mais a fúria da verdade
aliás não há verdade
há corpos vazios
que secam no presente
e se esvaem...
insisto na maldade de dizer tudo
e busco os signos
de algum entendimento.
a menina iris
dos meus olhos
se curvou cabisbaixa
abraçando os joelhos
sobre a antiga balaustrada
alegre dos seios fartos
angustiada e solitária
estás cego...
não há circo
nem palhaços no picadeiro
a ribalta está escura.
desce
já trocaste a tua máscara
pela definitiva face
está escuro...

2 comentários:

O Sibarita disse...

Tá escuro, é fia? Se rete não, vai clarear, repare aquele pôr-do-sol da ponta do Humaitá, já reparou, já? kkkkkk

E o do Solar do Unhão o que achas? É bom, né? kkkkkkkkkkkk

Então, o seu poema é porreta, seu coração está todo enfiado nele, ô maravilha meu Deus! kkkkkkkkkkk

Mas, me diz: devo gravar o seu semblante dolorido, perplexo ou o seu belo sorriso na foto que você está com vestido preto? kkkk

Oi dona moça prefiro o seu sorriso, tá rebocado, piripicado, viu? kkkk

Eita baiana retada para escrever bem? Hummmm... kkkk

E quem lhe informou que lá eu é poeta? Sou não menina! Oxente onde já se viu isso? kkkkk

Faça fé, sou apenas um cara que gosta de escrever e tão somente isso, nunca me achei poeta e nem penso nisso. Tanta gente boa por ai, né não?

Obrigado pelas palavras no Sibarita

bjs
O Sibarita

Guacira Maciel disse...

Olá, poeta!... sim, os poetas o são no coração (até porque nem todos escrevem poesias); para essas coisas eu tenho o faro de uma vira latas(tenho uma maravilhosa e até nos parecemos).

Mas, já vi esses pores de sol maravilhosos...
Obrigada, meu querido, e guarde o meu sorriso, porque é meu estado mais frequente. Momentos como esses do poema, são descarregos da alma.
Beijo.